domingo, 24 de novembro de 2013

Do calor [nº 2].

Sei que lá por essa época, no ano passado, eu estava saudando os dias quentes.
Minha pele estava bronzeada pois eu havia caminhado muito sob o sol.
Entre as flores, as cores da primavera.
Entre notas, dancei ao som dos desafinados.
Entre os perdidos, os desertores e os marginais, eu cantei meus últimos versos audíveis a ouvidos humanos.
Ao escurecer, eu me recolhi.
Agora, vejo um sol que não é mais o mesmo do último solstício:
é maravilhoso.



Um comentário:

Cris disse...

Oi, Gabriel! Obrigada pela visita ao meu blog. Eu já mandei a tese para a coorientadora e já voltou com algumas (bastante) coisas para rever. Tirei o recesso das festas de fim de ano para arrumar. Sinal verde MESMO vai ser quando a orientadora disser: pode encadernar! Pelo menos é um ciclo que está se fechando e vai coincidir com a mudança de cidade tb. Fim de ano, começo de ano...boa época pra mudar a pele. E tu, melhor, defesas mais fortes? Eu só ando com muito, mas muito sono...Fique bem!